sexta-feira, 11 de julho de 2008

O oratório de Aurélia

"É uma peça meio circense, com a neta do Chaplin". Essa foi a explicação feita pela maioria das pessoas antes de ver O Oratório de Aurélia, e que talvez explique a multidão de crianças acompanhada dos pais como platéia. Bem, a performance inclui alguns malabarismos, é verdade, mas isso é o mais próximo que chega do conceito de circo. Na verdade, é difícil achar uma definição plausível para o espetáculo, que não possui diálogos, o que faz com que o figurino e o cenário assumam papel dos mais importantes. No início o vermelho marca a presença, contrastando com o cenário dark. Os escarpins cor de sangue são sensacionais, ainda mais quando ganham vida própria. A cena em que Aurélia assume o lugar de uma pipa é surreal, não mais que a "chuva" de rendas do cenário, que explicitam uma mudança de tempo (nos dois sentidos). Os bonecos também não ficam para trás (adoro!!!), pedem até aplausos! E o trem "atravessando" a artista dá banho em muito efeito especial de Steven Spielberg. Enfim, O Oratório de Aurélia nada mais é do que o teatro na sua forma mais simples e sutil, uma congruência de muitas manifestações artísticas, passíveis a qualquer definição e ao mesmo tempo a nenhuma.

5 comentários:

Patricia Veltri disse...

a onde?
quando?
quero ir...
e levar meu filho tb!
xx
P.

Helena Castro disse...

deve ser super interessante essa peça! vou ficar de olho quando vier para o rio...

beijos, helena

Claudia Pimenta disse...

oi ana helena! nossa, um prazer ter meus links no seu blog - adorei! assim podemos nos visitar sempre, né? nossa, eu adoraria ver esta peça - deve ser incrível! nada como ver um belo espetáculo de arte... um sonho! bjs e bom fim de semana!

Francielle da Maia disse...

Adoreei.. desse ser muito boa =)
Beeeijos.

Graziele Pacheco =) disse...

Olá!!!
Nossa essa peça deve ser realmente incrível!!
será que vem para o Rio?
Espero que sim!
Bjos